As mulheres e a discriminação salarial.

By
salário das mulheres, educação, política salarial.

Saiu no jornal Zero Hora uma reportagem sobre a diferença salarial entre as mulheres e os homens em funções semelhantes. Segundo a reportagem um estudo feito pela Fundação de Economia e Estatística (FEE) apontou Porto Alegre como a capital em que há a menor diferença salarial. As mulheres ganharam em 2008 14,6% menos que os homens, mas ouve melhora, pois em 2007 esse índice era de 16,3%. Em média nacional as mulheres ficaram com 34% a menos em suas remunerações.

O Brasil é o país de maior diferença, mas essa discriminação ocorre em todos os países do mundo, sendo que os que apresentam menor índice são a Suécia com 11%, a Dinamarca com 10,1 %, o Reino Unido com 9% e a Índia com 6,3.

Além da brecha salarial, as mulheres sofrem outros tipos de discriminação, como uma menor promoção da carreira profissional e a carência de políticas que conciliem o trabalho e a vida familiar. Além disso, o estudo afirma que a atual crise afeta de forma especial as mulheres no momento de buscar um emprego ou em suas condições trabalhistas.

À medida que as condições de ensino oferecidas e as facilidades de acesso melhorem estas diferenças diminuirão.

As mulheres que se encontram na atividade, nos dias de hoje, tiveram muitas dificuldades de acesso ao ensino e isso reflete no nível salarial. Antigamente muitos pais não deixavam suas filhas estudar, coisa que hoje não acontece mais, as mulheres dominam os cursos superiores. Aqui em Santa Maria a maioria dos candidatos que passaram no vestibular eram mulheres e com idade de 17 anos. Com isso a tendência é que as mulheres tenham mais oportunidades nos seus empregos e sua renda média comece a crescer.


Outra área em que as mulheres vêm se destacando é nos concursos, outro dia saiu uma reportagem que de 21 novos delegados 17 eram mulheres.

Veja mais detalhes aqui


Se gostou do post subscreva nosso FEED.

15 comentários:

  1. Oieeee....tem uns selos pra você no meu blog. São uma demonstração do carinho e respeito por seu trabalho. Abcs.

    ResponderExcluir
  2. Tem um selo pra você lá no meu blog.

    http://kdezinho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Catarinho, creio tb que o tempo e muito trabalho se encarregarão de modificar a condição da mulher.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Catarino! Creio que a mulher já conquistou um lugar importante no mercado de trabalho, mas ainda há preconceito em alguns setores, e principalmente salários diferentes. Aqui em Minas, no jornalismo, as redações estão cada vez mais femininas. Independente do sexo, creio que o profissional deve ser valorizado pelas suas qualidades e habilidades.

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Catarino,

    É uma cruel contradição: enquanto as mulheres já são maioria em diversos setores, seus salários continuam mais baixos do que os dos homens.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Olá!!


    Estou passando para
    lembrar-lhe que,

    Segunda-feira dia 09
    é dia de Blogagem Coletiva!

    Sucesso para todos nós!


    Abs,

    ResponderExcluir
  8. É a dura realidade brasileira que deixa de privilegiar ótimas profissionais por causa do ego masculino.

    ResponderExcluir
  9. Oi. Sempre estou passando por aqui e gostaria de te propor uma troca de links ou banners, como achar melhor? O que achas? Abração
    kdezinho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi amigo, adicionei os links dos seus dois blogs no meu. Parabéns pelo seu sucesso. Continue assim, fazendo um blog de qualidade

    ResponderExcluir
  11. Catarino, eu realmente acho um assunto jurássico esse da desigualdade salarial entre homem e mulher. Mas infelizmente, continua acontecendo e isso prova que temos muito caminho a andar ainda.
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Tem surpresa pra você lá no Circo da Notícia!

    ResponderExcluir
  13. Somos, meus irmãos e eu, todos funcionários públicos concursados. Tenho 3 irmãs e um irmão. Talvez seja por isso que eu não sinta diretamente esta discriminação. Leio sobre este assunto e fico indignada mas ao mesmo tempo orgulhosa deste avanço feminino.

    ResponderExcluir
  14. Oie!

    Poxa! é triste verificar nessas estatísticas o quanto a discriminação ainda é muito forte, no meu blog coloquei a história da luta da mulher contada a partir de 1857.
    Interessante verificar como termina sua notícia que até de forma positiva fala do futuro em relação as mulheres, que o fato de estarem estudando mais atualmente existem grandes chances de diminuir de forma significativa essa desigualdade.
    beijo

    ResponderExcluir
  15. Eu espero nao sofrer disso em minha vida, deve ser horrivel e nao desejo isso a ninguem!

    Visita meu site: http://www.sempremaisestetica.com.br
    Desenvolvido pela namp: http://www.namp.com.br

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts