Campanha contra as mortes no trânsito.

By
Palavras,campanha contra mortes no transito

O Governo Federal lançou uma campanha para diminuir os acidentes nas estradas.

Os caminhoneiros são um dos principais focos da nova campanha de alerta sobre os riscos dos acidentes de trânsito.

A preocupação é com o uso de anfetaminas feito por pessoas dessa categoria profissional para se manter acordadas durante longas jornadas de trabalho. A droga é utilizada para reduzir o sono e o cansaço, permitindo ao profissional trabalhar mais horas no dia.

Com o slogan “Por você e pelos outros, respeite as leis de trânsito”, as peças publicitárias serão veiculadas de 8 a 30 de abril em televisões, rádios, internet, revistas, jornais, mobiliário urbano e outdoors

Além das peças publicitárias preparadas para prevenção de acidentes entre os motoristas de caminhão, também foram produzidos materiais direcionados à população em geral. A campanha chama a atenção para o fato de que o motorista que bebe e dirige não só assume uma postura imprudente consigo e perante aos familiares como também a de um criminoso em potencial.

Para alertar a população, a mensagem é a de que “Dirigir alcoolizado, quando não dá morte, pode dar cadeia”. 

De acordo com dados do Governo Federal, os caminhões estão envolvidos em 44% dos acidentes com morte ocorridos nas estradas brasileiras.

A ação é resultado de uma parceria entre os ministérios e órgãos responsáveis por iniciativas que reduzam a ocorrência de acidentes e mortes no trânsito - Ministérios da Saúde, Justiça, das Cidades, Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e Polícia Rodoviária Federal. 

Um dos dados mais contundentes do Governo Federal sobre o impacto dos acidentes de trânsito é de mortalidade. Em 2007, 36.465 mil pessoas perderam a vida por esta causa.

De acordo com um estudo feito pelo Governo, o percentual de consumo abusivo de álcool pela população foi de 19% em 2008, contra 17,5%, em 2007, e de 16,1%, em 2006, primeiro ano do levantamento que traça o perfil dos hábitos da população. Além disso, a pesquisa mostra que o brasileiro voltou a beber e dirigir com mais freqüência nos últimos meses em relação ao período inicial da Lei Seca, em vigor desde junho do ano passado, revertendo a tendência inicial de queda dos percentuais de pessoas que declararam conduzir automóveis após tomar bebidas alcoólicas.

Faça seu comentário e apareça no rol dos comentadores.

Se gostou do post subscreva nosso FEED.

8 comentários:

  1. É um absurdo o que se morre de gente no trânsito brasileiro. São números de guerra civil!

    A raiz do problema não está na conscientização, pois é questão cultural. Todo mundo acha que dirige bem pra caramba e que uma cerveja a mais ou a menos não muda nada. Agora, se a impunidade, sempre ela, não fosse a regra por aqui esses números não seriam assim.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Triste saber que muitas vidas são perdidas por coisas absurdas como esta.
    Muito legal seu blog, visite o meu também: www.muraldoantena.blogspot.com

    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Catarino!

    Um bom artigo este. Nunca é demais chamar a atenção para os perigos de andar na estrada.
    Aproveito para lhe desejar uma Boa e Santa Páscoa, bem como a todos os qe lhe são queridos.
    Um beijo,

    Milouska

    ResponderExcluir
  4. Olá, Catarino!

    O trânsito no Brasil, seja nas cidades ou nas rodovias, existem uma verdadeira máquina de matar e ferir as pessoas. Não existe respeito nem às pessoas nem às lei de trânsitos no cotidiano de nosso trânsito. É um verdadeiro absurdo como as pessoas dirigem os seu veículos, sejam carros ou motos. Poucas pessoas respeitam os limites de velocidade (só respeitam quando existem radar e isso somente no logal onde o aparelho está instalado) e quase ninguém dá sinal quando passa de uma faixa para outra. Esses são os principais infrações que eu observo andando pelas ruas e rodovias de São Paulo.

    Abraços

    Francisco Castro

    ResponderExcluir
  5. Catarino, a maioria dos que conseguem a licença para dirigir não estão preparados para o trânsito caótico das nossas cidades e rodovias. O pior de tudo é que a maioria acha que "isto não vai acontecer comigo".
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Morre muito mais pessoas que imaginamos, pois quando a vítima é deslocada e vem a falecer na ambulância ou pronto socorro não faz parte da estatistica de morte no trânsito então este número real ninguém sabe.

    ResponderExcluir
  7. Temos que fazer um corrente humana, e convidar as pessoas que soferam acidentes, e essas vítimas fazer um depoimento da uma orientação de como é perigoso o acidente de trânsito que vem matando cada dia mais e vem fazendo vítimas.

    Obrigada pelo Espaço !!

    ResponderExcluir
  8. Olá,

    Veja essa campanha educativa no trânsito:

    http://manicomionews.blogspot.com/2011/11/campanha-educativa-no-transito.html

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts