Quem foi seu Monteiro Lobato?

By

Dia do Livro Infantil

Dia do Livro Infantil
Hoje, 18 de Abril, é comemorando no Brasil o dia do livro infantil e para comemorar a data o Blog Fio de Ariadne propôs uma blogagem coletiva com o tema "Quem foi seu Monteiro Lobato".

Para ser franco não sei de onde veio meu gosto por leitura. Quando fui para a escola e aprendi a ler queria praticar mas as fontes eram mínimas. Nas ruas eu lia os nomes das lojas e a descrição das mercadorias em oferta. Naquele tempo a maioria das lojas escrevia as promoções em cartazes e colocava no lado de fora.

Como os livros eram poucos lia e relia a cartilha e aos domingos lia o jornal que meu pai comprava. Ia bem cedo à estação férrea esperar o jornal chegar para ser um dos primeiros a comprar e correr para casa para começar a ler.

Acredito que meu Monteiro Lobato foi meu pai que mesmo pobre sabia ler e lia o jornal de domingo.  

Lembro que quando estava na sexta série do antigo primeiro grau pedi ao meu professor uma indicação de um livro e ele me falou do livro A grande mulher nua do Luiz Fernando Veríssimo. É um livro de crônicas e na que dá nome ao livro o autor compara o Rio de Janeiro a uma grande mulher nua deitada.  

Antes disso lia bastante revistas em quadrinhos e sempre gostei de ler jornal. Li muitos livros emprestados e aprendi a ler rápido, pois normalmente o tempo era curto e eu não queria devolver sem ter lido tudo.  

Depois que comecei a ter meu próprio dinheiro, trabalho desde os 14 anos, comprei muitos livros e tenho em casa uma grande quantidade. Gosto de ler e ter os livros, gosto de arrumar a estante e ver meus livros.  

Falando em Monteiro Lobado li que a importância dele não se deu somente como escritor de histórias infantis, foi também um dos primeiros editores de livros no Brasil. Além disso foi ensaísta, contista e tradutor. Foi um grande incentivador e divulgador da literatura e escreveu muitas obras. Seu estilo de escrita, com linguagem simples, onde realidade e fantasia estão lado a lado torna a leitura fácil e empolgante. 

A Rede Globo filmou em forma de seriado infantil o Sítio do Pica-pau amarelo onde apresentou a todas as crianças suas principais obras e personagens.  

Saiba mais sobre Monteiro Lobato.

Faça seu comentário e apareça no rol dos comentadores.
Se gostou do post subscreva nosso FEED.

21 comentários:

  1. Legal, Catarino. Acho que todos nós passamos por este momento de querer ler tudo quanto é anúncio nas ruas. Há pouco tempo presenciei uma menina no ônibus que estava com a sua avó, e ficou o trajeto todo lendo cada faxada que via. Isso é estímulo, é motivação. O que não falta para nós que chegamos na blogosfera, né? E nesta blogagem coletiva.

    Um abraço.
    Marcelo.

    ResponderExcluir
  2. Lobato é ainda pouco conhecido ou, pelo menos, menos do que deveria. E a maioria dos que o conhecem, é como se achassem que ele já nasceu escritor de livros infantis e infanto-juvenis. Sua colaboração na escrita de livros de temátia adulta e nas discussões políticas nacionais é importantíssima.

    ResponderExcluir
  3. È eu comecei com ele e acredite li toda coleção infantil dele..minha unica diversão quando criança..ganhava de presente e lia..
    Otima postagem a sua.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi Catarino!

    Como sempre excelente sua postagem. Sempre trazendo algo a mais para seus leitores!

    Que bonita sua história, também adoro ter os livros e quando criança sai lendo de tudo.

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Adorei o texto,o blog,estou na coletiva tb.
    Linda história.
    beijos
    Mari

    ResponderExcluir
  6. Engraçado, lembro da primeira versão do Sítio (nada de eletrodomésticos de ultima geração!!!), saudades daqueles tempos!
    Adorei o texto porque ele traz exatamente este quê de outros tempos, da gare da estação, da Rio Branco movimentada...sei lá...é bom recordar!

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Catarino, eu também gosto de tre livros e não somente lê-los!
    E também trabalho desde cedo, como você.
    Esta blogagem está me dando a chance de conhecer tanta coisa, tantas pessoas...
    Bom né?
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Catarino,

    mais um pai com presença ativa na formação do filho. Sorte a nossa, que pdemos contar com estes Lobatos.

    Parabéns pelo post, abraços.

    ResponderExcluir
  9. Oi Catarino! Meu e-mail é fernandabotelho@yahoo.com.br

    Deculpe a falha do meu blog, vou verificar o formulário.

    Estou no aguardo! Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  10. Bela história, Catarino. Quando criança meu pai comprava uns livretos, tipo literatura de cordel, e eu devorava tudo. Mais tarde comecei a frequentar a biblioteca de minha cidade, Brusque-SC, e comecei a ler Julio Verne e mais tarde o próprio Monteiro Lobato.
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Gostei do seu texto. Me fez lembrar que lá em casa também só tinha jornal domingo e eu lia desde pequena e deu nisso, hoje sou jornalista!
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Olá Catarino! Gostei do teu texto,especialmente o gosto de comprar livros assim que começou a trabalhar...tão cedo...aos catorze anos!

    Abraço, Susana

    ResponderExcluir
  13. Monteiro Lobato era um visionário, digamos assim. Afinal, foi editor, jornalista, escritor, agitador cultural, enfim, um desses homens que fazem falta no Brasil atuamente.

    Curiosamente minha iniciação literária também não se deu com Monteiro Lobato, não. Eu comecei com HQ's do Tio Patinhas, Homem-Aranha, Batman, esse povo...só depois é que fui ler Monteiro Lobato, as fábulas adaptadas de Esopo, os contos de fadas, Orígenes Lessa, Mark Twain ( meu sonho era ser um Huckleberry Finn ou um Tom Sawyer) e daí o resto é história!

    abs! Boa lembrança!

    ResponderExcluir
  14. Segundo a pesquisa Retratos da Leitura Lobato é o escritor brasileiro mais admirado seguido por Paulo Coelho, Jorge Amado e Machado de Assis.

    ResponderExcluir
  15. Para quem curte livros infantis, aqui tem mais de dez: http://www.bookess.com/categories/4/

    ResponderExcluir
  16. Catarino, obrigada por participar com seu texto da coletiva. Estou adorando passear pelas lembranças de meus amigos blogueiros.

    Abraço

    ResponderExcluir
  17. Uma pena que tenha morrido deprimido. Acho que algumas pessoas nascem na época errada mesmo assim se sobressaem. No Caso de Monteiro Lobato, até os intelectuais pouco compreendiam o seu modo de ser, talvez por isso achava os adultos tão pedantes e tenha optado por se dedicar a literatura infantil. Seu pai, a seu modo passou a você o gosto ou melhor, te despertou para a leitura. Quando temos vontade, nada é barreira e mesmo lendo rápido, consegue assimilar tudo aquilo que as pessoas leem normalmente. Oras, acho isso positivo! Não acha não? Boa blogagem! Beijus

    ResponderExcluir
  18. deve ser bom ter a lembrança de seu pai
    as vezes, as pessoas se tornam livros-vivos
    :)

    ResponderExcluir
  19. Oi, já está no Fio a lista com os textos selecionados para a votação que premiará três blogueiros com um livro da Zahar. Conto com você para ajudar nesta tarefa. O link é http://tinyurl.com/dnlozq


    Abraço

    ResponderExcluir
  20. iai beleeeeeeeeeeeee

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts