Os blogueiros e a vida real.

By
Os blogueiros e a vida real.

Uma grande quantidade de blogueiros usa nomes e símbolos na tentativa de esconder suas identidades. Mesmo os que usam o próprio nome, como no meu caso, parecem personagens e não seres reais, pois são conhecidos no mundo virtual e no mundo real não. A grande exceção é o Edney do Interney que é conhecido como blogueiro.

Eu, pelo menos, cuido do blog com todo o empenho, divulgação, qualidade e respeito pelos leitores, mas no dia-a-dia levo uma vida normal. Trabalho o dia todo e faço todas minhas obrigações, levar filhos ao médico, ir à escola dos filhos e muitas outras atividades. Nessas horas minha vida não tem nada a ver com o ato de ter e manter um blog. A maioria dos meus colegas de trabalho nem sabem o que é um blog e quanto mais que eu tenho um. E isso que eu fiz e distribui um cartão e convidei a todos para que conhecessem. Mas a reação foi a mesma que se eu tivesse dito que tenho um time de futebol e convidasse para que fossem olhar eu jogar. Ninguém apareceu ou se apareceu nada disse ou fez para ser notado.

Em todo o mundo há milhões de blogs e por consequência milhões de blogueiros, mas ainda está muito longe o dia em que as pessoas saibam o que é e para o que serve.

Há alguns dias eu recebi meu primeiro pagamento por comissões do Google Adsense. O pagamento é feito por meio de transferência internacional, contatei o banco e me disseram que eu tinha que ir à agência e apresentar documentos que justificasse a origem do valor remetido. Imprimi a tela do Adsense onde constava o valor remetido e os meus dados e fui ao banco. O funcionário que me atendeu perguntou e eu expliquei que tinha um blog e que o Google pagava por anúncios expostos nele. Parecia que eu estava falando de que o valor recebido era por serviços prestados a um ET no conserto de sua nave. Pelo olhar dava para ver que não sabia o que era um blog e quanto mais o que seria exposição de anúncios.

Parece que ser blogueiro não é coisa para pessoas simples como eu, ninguém acredita que é uma atividade séria e que exige trabalho e estudo para ser mantido.

Eu que eu quero dizer é que parece que temos uma vida dupla, somos pessoas normais no dia-a-dia e na calada da noite escrevemos e publicamos textos que muitas pessoas lêem, mas nenhum parente ou amigo ou colega sabe que existe. Parece que vivemos uma vida dupla.

E você, colega blogueiro, somo se sente em relação a sua atividade de blogar todo o dia, conte sua história, deixe seu depoimento.

Fonte da imagem: Digital Drops.
Faça seu comentário e apareça no rol dos comentadores.
Se gostou do post
subscreva nosso FEED.
Se for copiar cite a fonte www.blogdocatarino.com

30 comentários:

  1. Interessante o texto. Acho que o grande problema não é o blog em si, mas sim uma questão muito simples: A sociedade brasileira ainda não registrou a idéia de que a internet não é somente um antro de maniacos sexuais e ociosos, podendo se tornar um meio útil para todos os setores: educacional, comercial e principalmente na área da educação.

    Enquanto outros países convivem com naturalidade com idéias como mídia digital, comércio e escolas a distância, temos tendência de criar barreiras nesse processo. Por exemplo: eu estou trabalhando em um projeto de publicação de livros online de nome Bookess e, apesar de estar sendo bem recebido pela mídia, escritores ainda têm um pé atrás em trabalhar com algo cujo foco é online. O mais estranho é que até escritores que utilizam a internet como meio de comunicação informal, no momento de vê-la como um meio lucrativo, sério, se tornam temerosos.

    ResponderExcluir
  2. KKK Catarino é verdade. Quando fui fazer meu cadastro no banco o gerente ficou me olhando pensando que eu era parente do Bil Gates ou coisa parecida ficou tão perdido com a situação que pediu que eu sentasse no lugar dele e preenchesse o formulário para autorização do deposito. E depois ficou me pedindo um monte de dicas de programas, navegação e tal.
    Um abraço,

    ResponderExcluir
  3. é catarino você tem toda razão, na verdade agente parece mesmo ter uma vida dupla, eu já passei por isso no banco, a menina me perguntou o que era blog e também tive que levar o demostrativo, bom o seu post, suceso

    ResponderExcluir
  4. Pois é...

    Pior que teve uma época muito corrida que eu ficava boa parte da madrugada mexendo com o blog.
    Daí um amigo já estava muito preocupado achando que eu tivesse pirado de vez...


    Abraços!

    http://wolucomental.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, Catarino!

    Muito interessante a sua história de blogueiro, e eu acho que não é muito diferente da maioria das pessoas que possuem blog. As pessoas em geral não acessam os blogs por fator cultural, falta de conhecimento ou ingnorância mesmo. Qunatas coisas boas encontramos no mundo dos blogues, muito melhor do que na televisão.

    Abraços

    Francisco Castro

    ResponderExcluir
  6. Amigos Blogueiros...

    Eu na verdade ainda não passei por nenhuma situação destas, estou iniciando minha carreira de blogueira rsrsrsrs e por enquanto escrevendo sobre qualquer coisa, pois ainda não defini no que desejo me deter, enfim, ao amigo Catarino, obrigada por me convidar para participar de seu blog.

    Boa escrita a todos!!! Quem desejar seguir meu blog será bem vindo!!!

    ResponderExcluir
  7. Prezado Catarino, tudo bem?

    Você tem razão e os demais idem quando afirmam que as pessoas ainda não digeriram o que é um blogue.
    Fico contente, satisfeito e estimulado em saber que vocês percebem alguma remuneração através de blogues rsss coisa que pouca gente admite...
    Sinto-me honrado em ser blogueiro e conversar com e para blogueiros porque não estamos sujeitos à censura e à initmidações como os jornalistas e por isso temos mais liberdade de expressão. Assim, a cada dia, vê-se que a grande mídia, quer queiram ou não, estão perdendo a credibilidade dia após dia, enquanto nós blogueiros publicamos o fato como o fato é mesmo que condicionado por uma ideologia.
    Podemos discordar no nível das idéias, mas não podemos fazer como certos jornalistas assalariados - com ou sem diploma - como inventar os fatos, forjar documentos e dossiês!!!
    A nossa importancia, o relevo de nosso valor cabe a nós próprios decidirmos. Assim fica a consciência de cada um a escolher se nosso compromisso é com a verdade ou não.
    Parabéns e Sucesso,
    Fernando Claro

    ResponderExcluir
  8. É exatamente assim Catarino!
    Quando comecei o blog fiquei no anonimato também, porém agora, justamente por problemas com identidade de autoria do blog, estou aos poucos divulgando a "cara" do monstro que escreve o UsuárioVirtual. Já disseram até que meu blog era de autoria de um outro blogueiro velho conhecido na blogosfera.
    Um abraço amigo.

    ResponderExcluir
  9. Sabe Catarino, eu não tinha parado para pensar nisso. Mas acho que é mais ou menos como você escreveu. Levamos uma vida dupla. Tenho alguns parentes e amigos que visitam o blog de vez em quando. Mas só comentam quando falam comigo pessoalmente ou por telefone. No blog nem pensar...hehehe Parece que têm medo ou algo parecido. Apesar disso, sempre divulgo, para os amigos e parentes.

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Catarino,

    acabamos, na verdade, não deixando de sair do virtual, pois o tempo passa e parece que mais temos que dizer o que é um blog e o quanto ele tem um poder de comunicação entre nós.

    E como é complicado conversar com as pessoas (amigos, parentes) de assuntos que você trata nos blogs, ou que viu certa informação pelo blog ou outro serviço semelhante, já que o twitter é outro ET também.

    Mas prefiro ter esta vida dupla, que mais tem a me acrescentar, do que viver se lamentando da falta de "opção" que se tem na vida offline.

    Muito interessante ter abordado isso, pois mesmo não tendo que receber nada com o meu blog, às vezes me sinto um ET também kkkkkkk

    Um abraço
    Marcelo.

    ResponderExcluir
  11. Eu faço o contrário de você. Tento evitar que a maioria das pessoas próximas a mim saibam dos meus blogs (apesar de não conseguir depois de um tempo). Acho que gosto de manter uma vida virtual um pouco distante da vida real.

    E olha que coincidência: também recebi meu primeiro pagamento do Adsense a pouco, mas para evitar aborrecimentos como o que você teve, eu recebi pelo Banco Rendimento, que fez tudo para mim e resolveu tudo por e-mail; achei bastante prático.

    ResponderExcluir
  12. Saudações!
    Amigo,
    CATARINO
    Excelente Post!
    Ainda não tinha pensado, mas, concordo com as colocações em tela.
    Há os amigos que vivem exclusivamente dos recursos provenientes de seus Blogs. Enquanto a grande maioria exerce outras atividades e faz do Blog um recurso para expor seus trabalhos, e tudo aquilo que é importante ao seguimento que elege e pretende alcançar, compartilhar conhecimentos etc.
    Tudo requer sacrifício, horas preciosas são dispensadas na produção de um texto, de um post.
    É necessário muitos anos de trabalho para se construir um razoável circulo de leitores junto a grande rede, em face do fantástico montante de excelentes textos que a cada segundo vai ao encontro de um mesmo leitor.
    Penso que o reconhecimento de nosso trabalho ainda levará muitos anos, pois, a evolução cultural é o fator determinante!
    O seu texto é magistral!
    Parabéns pelo seu BLOG... Magnífico!
    Abraços,
    LISON.

    ResponderExcluir
  13. Catarino, estou eu aqui de volta, depois de muito tempo sem dar uma passadinha por aqui e escrever um comentário (tarefas e mais tarefas no "outro lado da vida", hehe).

    Então...comigo é "metade diferente": na verdade, muitos amigos meus conhecem os blogs (até porque somos todos adolescentes), mas o poder de monetização que pode existir sobre eles, poucos conhecem, ou não dão o real valor à que isso merece.

    No mais, parentes também nem sequer conhecem. Um amigo meu até se arriscou a postar um comentário, mas não passou disso.

    Praticamente vivo uma vida dupla também: se me perguntam na rua o que eu faço e eu responder que "blogo", eles com certeza irão achar estranho.

    Mas estamos na ativa, né? Como digo, sou como a Nosphie (www.blosque.com) e não desisto nunca! E por outro lado, pode até ser divertido ter duas vidas, poucos têm essa chance, não? E creio que só me sentirei plenamente realizado quando puder conversar frente a frente com blogueiros, no Campus Party ou BlogCamp ano que vem, quem sabe, hehe.

    Abração e continue com os ótimos textos!
    Alan Niemies - www.analiseblogueira.com

    ResponderExcluir
  14. Quanto ao Adsense, o Banco Rendimento não tem igual. Tanto pela tarifa baixinha, tanto pelo atendimento direcionado pro Google.

    Nem precisa abrir conta. Eles fazem todo o serviço.

    Eles perguntam? Ah, é do Google?
    E transfere pra moça que entende tudo do troço.

    Recomendo.

    Abraço, parabens pelo blog ;)

    ResponderExcluir
  15. Catarino,

    Como você deve saber, o Almanakut Brasil não é desenvolvido por uma só pessoa.

    Publicamos uma matéria em um jornal francês, como leitores, e mesmo o texto não estando bom, por causa do tradutor, e ficamos surpreendidos com o tanto de respostas que obtivemos, porque os franceses entenderam o conteúdo e são muito participativos.

    Aqui no Brasil, notamos muito pouca participação de muitos blogueiros, muito individualismo, e por isso, estamos tranquilos quanto ao nosso módus operandi, ao qual já nos informaram que é diferenciado.

    Por exemplo: No DiHitt, quando publicam alguma coisa de pouca expressão, muita gente vota, mas quando é algo de conteúdo mais sério, ou parecem ignorar, ou é falta de auto confiança no próprio trabalho.

    Porém, nos preocupamos com a difusão e divulgação.

    E a importância do blogs atualmente, contribuiu para a não exigência do diploma de Jornalista, ao qual foram os mesmos que começaram os ataques, e se esqueceram da tão exigida liberdade de expressão, na época da Ditadura.

    Enviamos mensagens para todos os estados brasileiros, exterior, e sabemos que tem muita gente da imprensa de olho nos nossos perfis no Orkut.

    Também, enviamos e-mails para imprensa, poderes e outros, porque em seus sites sempre tem um link chamado Fale Conosco, e falamos mesmo.

    Assim como a TV engoliu o Rádio, a Internet está engolindo a TV, e aqui, podemos competir.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Olá Catarino! Gostei do post, gostei do tema. Eu me sinto um pouco como você - parece que ser blogueira é uma segunda identidade. Para mim, o que começou como diversão e necessidade de expressão passou a ser quase um trabalho pois dedico horas ao blogue. E os amigos quase nunca falam, não perguntam. Mas acredito que as coisas estão mudando aos poucos. Cada vez mais as pessoas procuram a internet para informação e não apenas para diversão ou pornografia. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  17. Percebo isso também. é difícil explicar para as pessoas o que é ser um blogueiro. Ainda escuto muito perguntas do tipo: "Como é que isso dá dinheiro?"

    Ou coisa pior; como "que molezinha" e por aí vai.

    Concordo com quem disse que isso advém da falta de cultura do brasileiro. Nossa sociedade ainda está muito arraigada ao mundo "off-line" e nãoconsegue entender como as pessoas podem trabalhar profissionalmente com algo que, para elas, é intangível.

    ResponderExcluir
  18. Concordo!!!
    Sou problogger (blogs é minha profissão) e webdesigner freelancer.
    Quando falo no que eu trabalho falam que é moleza, que eu tinha que trabalhar duro, que isso qualquer um faz.
    Meus amigos nem ligam, são poucos os que se interessam e um ou dois oferece ajuda.

    ResponderExcluir
  19. Belo texto. O mesmo acontece comigo, de manhã e atarde estudo e trabalho, e quando sobra tempo me dedico um pouco com meu blog. Vc descreveu tudo o que somos. Parabéns

    ResponderExcluir
  20. É, Catarino, engraçado como isso causa estranheza - mas apenas no "mundo-adulto-normal". O que eu observei é que meus amigos adultos me olham com aquela cara: "você não tem mais o que fazer?" enquanto que os adolescentes - especialmente os alunos acham o máximo e passaram a visitar meu blog.

    Adultos são mais reticentes com relação às novidades, é o que me parece (não que blogs sejam exatamente novidade, mas a assimilação de tecnologia no mundo-adulto-normal é que é meio lenta).

    Ainda bem que fazemos parte do mundo-adulto-anormal onde se pode receber renda de anúncios em um blog e, ao mesmo tempo, fazer algo que se gosta - algo impossível sob outras visões de mundo :p

    ResponderExcluir
  21. Muito legal o seu post. Eu já tinha pensado nisso. Realmente nem mesmo meus irmãos acessam o meu blog ou se importam se eu sou blogueiro ou não.
    Já tenho um ano de blogueiro e ainda sim ninguém sabe disso. Será que a gente vai ter que fazer propaganda de nosso blog por aí, espalhando folhetos e divulgando o nosso endereço nos outdoors?

    ResponderExcluir
  22. Excelente seu texto, Catarino!
    É uma realidade que também convivo no meu dia a dia. Minha família, meu amigos mais próximos nem sabem o que é um blog e nem o que estou fazendo aqui. Parece mais que possuímos duas vidas!
    É a vida!
    Parabéns!
    Bjos,
    Luka

    ResponderExcluir
  23. Catarino, excelente teu texto...é isso mesmo, meus filhos e alguns amigos e parentes visitam o blog, mas comentar só uns dois ou três e só de vez em quando, e a maioria quando falo que tenho um blog, reagem como se fosse uma coisa ilegal, imprópria, tem muita gente que não sabe a diferença de blog e sites de pornografia, sala de bate-papo e por ai vai...
    A vida dos blogs ainda é curta, com o tempo isso vai acabar e todos saberão o que realmente fazemos.

    Ainda não fui ao banco ,,,espero ir logo,rs.

    Boa semana

    Lugirão

    ResponderExcluir
  24. Catarino também uso meu nome real. Pude constatar que muitas pessoas do nosso convívio nos lêem mas, não comentam.
    Agora, não posso acessar a internet todo o dia mas, isso é somente uma questão de tempo.
    Antes eu passava muito tempo na internet, agora amadureci um pouco mais.

    ResponderExcluir
  25. Oi Catarino,
    Pelo que vejo não sou a única, me sentia solitária, achava que minha família desprezava meu trabalho, mas vejo que é mais comum do que eu imaginava.
    Os amigos nunca deixaram nenhum comentário no blog ou sobre ele.
    É chato, mas cada um na sua, já acostumei.
    Quanto ao adsense, o google sismou que eu transgredi as normas do contrato, não fiz isso, e não tenho como provar, meus e-mails não são respondidos e eu perdi a conta, mas, nada como um dia após o outro.
    Muito sucesso pra vc.

    ResponderExcluir
  26. Me diverti c/ seu post, eu é que me sinto uma ET, qdo falo no meu trabalho q tenho um blog é a mesma coisa q vc citou no seu post, parece uma coisa complexa e de pouco interesse.
    Legal tb é não se escnder como nós q colocamos nossa foto p/ q as pessoas saibam como somos e q existimos realmente.Não gosto de pessoas q se escondem em avatares, e fguras diversas.
    Bjos

    ResponderExcluir
  27. Esqueci, de te convidar a passar no meu blog e deixar um comentário, será uma honra recebê-lo.
    Bjos

    ResponderExcluir
  28. Realmente me sinto diferente ,a oportunidade de criar muita coisa e expor na internet está trazendo muitas mudanças .
    A maior parte das pessoas ainda não tem acesso a essa verdadeira revolução .

    ResponderExcluir
  29. Realmente!
    Quando eu entrei nessa de blogs eu vivia exatamente como voc citou, uma vida dupla. Depois de um tempo, investi na marketing pessoal. Hoje em dia, meus amigos me conheçem por ser dono do blog Juventude Alucinada, e infelizmente, surgiu um outro problema agora. Esse problema é a falsidade, depois de que virei "popular" na escola, no serviço e na cidade, muitas das minhas amizades são por total interesse, e as que não são, tem pelo menos um pouquinho de interesse. Mas, é a vida. Vivendo e aprendendo.

    Adorei o seu texto, continue escrevendo mais sobre este assunto.

    Ah, e gostaria de propor pra voc uma ajuda. Achei o topo do seu blog um pouco desanimado, sem impacto. Entre em contato comigo pelo msn que irei deixar abaixo para a gente conversar e quem sabe se voc concordar a gente não possa mudar essa imagem por uma melhor. Eu domino a área de fireworks.

    Um abraço, Catarino.

    MSN: diogo@juventudealucinada.com

    ResponderExcluir
  30. Me sinto um ET. As pessoas de meu convívio, no trabalho e na academia, nunca ouviram falar em blogs e as poucas vezes que tentei explicar, foi mais simples esquecer. Apesar da era da informática, há muita gente e até gente antenada, que nem imagina o que vem ser um blog.
    Se você diz que é um site pessoal, recebem com desconfiança e logo perguntam quanto custa para desenvolver uma. O mundo da blogosfera não tem relação com o mundo real. Abraços

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts