Homenagem ao Dia da Criança.

By
Homenagem ao Dia da Criança


Doze de outubro, dia em que também é comemorado o dia das crianças. Existem vários pontos de vista que podem ser discutidos levando-se em conta esta data. Vou tomar como base à criança que existe em cada um de nós.

Os seres humanos tendem na juventude, a se afastarem de sua criança interior, sendo obrigados a resgatá-la, muitas vezes, na fase adulta, quando a tal criança já se encontra enterrada profundamente em toneladas de “seriedade”, “profissionalismo”, “juízo” e “maturidade” entre outras tantas características adultas.

Até chegar o dia em que vários de nós (seres adultos e independentes), passamos também a ser reconhecidos como respeitáveis pais e mães de família, tendo que nos comunicar com aquelas pequenas criaturas chamadas de filhos. Para isto se tornar possível, nos esforçamos para entrar naquele mundo de fantasia que é o mundo infantil, buscando conseguir assim, convencer-lhes a tomar banho, comer, se vestir, enfim cuidar deles. Muitas vezes, para alcançar esses objetivos utilizamos uma criatividade que beira ao ridículo, mas que é saudável, prazerosa e necessária para um bom entendimento entre ambos.

Em quantas ocasiões vimos, ou mesmo fomos nós que fizemos, os famosos apelos: “olha o aviãozinho”, com uma colher na mão, tentando dissuadir a criança a comer. Mesmo sem perceber que ela não tem a mínima idéia do que raios uma colher tem de semelhante com um avião, aliás, ela nem sabe o que é um avião, ou o tal de aeroporto onde a colher deve pousar, que misteriosamente fica dentro de sua pequena cavidade bucal, e talvez por isso muitas expulsem a aeronave alimentar da boca, que escorre pelo queixo indo pousar no babador.

No banho o sabonete se transforma em um submarino. Na cama os cobertores são campos de força ou cavernas. Nos transformamos em cantores, malabaristas, palhaços. Tudo para convencer nossos “bebês”, a agirem conforme queremos.

Um homem que de modo geral passa o dia engravatado e em reuniões sérias, discutindo ações importantes, ou pegando no pesado em alguma obra, ou mesmo dirigindo, ou executando qualquer outra função adulta, durante a noite se transforma na imitação de um cavalo ou sapo para brincar com seu filho.

A mulher, que busca seu espaço no mercado de trabalho, ou fica em casa enfrentando a rotina do lar, vê-se criando caretas que nem ela mesma sabia que conseguia, procurando energia para cantarolar ou contar histórias há muito esquecidas de sua própria infância.

O ser adulto volta a chamar a criança adormecida que existe dentro dele para ajudá-lo nesta difícil, porém, bela empreitada, que é cuidar daquela gente miúda. Outro fato interessante é o trabalho que dá entender a linguagem dos pequenos. Seus choros, que podem ser sono, fome, dor de barriga, etc, ou mesmo uma mescla de todos estes fatores.

Perceber quando um “papá” que dizer “comida”, ou “papai”, ou se ela só quer pegar uma colher para fazer algum tipo de “pá” em nossa cabeça como se fosse um tambor é um verdadeiro exercício de imaginação.

Gostaria de finalizar esta homenagem, parabenizando a todas as crianças, das recém nascidas até aquelas com cem anos ou mais, que conseguem deixar o adulto de lado, para voltarem ao mundo maravilhoso da infância que existe em todas as pessoas, tornando assim o nosso mundo um lugar mais leve e humano.

O texto acima foi escrito por Antonio Brás Constante com o título ”A criança que se esconde dentro de você” e estou publicando com autorização do autor. Veja outras obras do mesmo autor no Recanto das Letras.


Faça seu comentário e apareça no rol dos comentadores.
Se gostou do post subscreva nosso FEED.
Se for copiar cite a fonte www.blogdocatarino.com
Fonte da imagem: QuiosqueAzul

5 comentários:

  1. Olá, Catarino,

    Criança e criatividade são sinônimas. De fato, quando éramos crianças, fazíamos coisas ridículas e felizes, mas não nos sentíamos ridículas. Agora, adultos, temos vergonha de nos expressarmos como coisas aparentemente banais por medo de nos taxarem de idiotas. Que chamem. O importante é resgatar a criança que há em nós.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Catarino,

    Este texto é muito bonito e de um realismo enorme. Penso que todos os pais e mães, ao lê-lo, conseguem identificar-se nalgum, ou em muitos pontos. Eu consegui! :)

    Parabéns!

    Grande abraço
    Luísa

    ResponderExcluir
  3. Catarino,
    Adorei sua postagem!! Cada um de nós temos uma criança dentro de nós. Alguns a deixam aflorar, brincam, se divertem à valer. Outros prendem, só vivem tristes e acabrunhados.Obrigada pela visitinha,sempre que me visitas me sinto muito feliz.Obrigada!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Dei boas risadas com o texto...a estória do aviãozinha é ótima. Amigo Catarino, muito obrigada pelas suas palavras de apoio e carinho com relação a minha cirurgia. Grande abraço,
    Janeisa

    ResponderExcluir
  5. Ola Catarino!

    obrigada pela visita!

    Adorei o Blog e a postagem!

    Adicionei aos meus e te seguirei também!

    bela semana!!

    Elaine

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts