O Caso da Vara, conto de Machado de Assis.

By
O Caso da Vara, conto de Machado de Assis
No conto “O Caso da Vara” Machado de Assis mostra o quanto as pessoas são egoístas, querem receber bondades, mas são incapazes de fazer uma quando esse ato pode prejudicar suas intenções. Se o personagem Damião evitasse a surra à escrava provavelmente sua dona não iria ajudar em sua fuga do seminário. Esses atos acontecem ainda em nossos dias, por isso o conto tem um tema bem atual.

“Damião foge do seminário, por não ter nenhuma vocação religiosa, e corre para a casa de Sinhá Rita, a única pessoa que poderia salvá-lo. Relata-lhe a fuga e diz estar em suas mãos. Sinhá Rita resolve ajudá-lo e chama João Carneiro, padrinho de Damião, sobre quem exerce muita influência. João Carneiro, por seu turno, é muito ouvido pelo pai de Damião, e pode convencê-lo a tirar o rapaz do seminário.

Enquanto isso, Damião vai aguardar o desfecho do caso junto a Sinhá Rita. Pela tarde aparecem cinco moças, amigas da dona da casa, e o seminarista se sente feliz naquele buliço feminino. Damião mostra o seu talento de contador de anedotas e todas as mulheres riem muito, inclusive uma jovem escrava, Lucrecia, que é bordadeira e que – em meio à diversão geral – chega a esquecer do trabalho. Sinhá Rita então ameaça-a com a vara, caso não terminasse a tarefa. Damião resolve, interiormente, apadrinhar a negrinha, se isso ocorresse, pois suas anedotas é que poderiam ser a causa do atraso.

Neste momento, chega uma carta de João Carneiro, pelas mãos de um empregado, afirmando que o pai de Damião está furioso com o filho. Sinhá responde, por escrito, que se João Carneiro não resolver o problema do garoto, ela nunca mais lhe falará. Em seguida, Sinhá Rita resolveu encerrar os trabalhos de bordado. Todas as discípulas haviam concluído o serviço, menos Lucrecia. A senhora enfurecida agarra a negrinha para castigá-la e pede a Damião que lhe alcance uma vara que estava no outro lado da sala. Lucrecia implora ao rapaz que não entregue o instrumento de suplício para Sinhá Rita. Damião vacila, compungido com a situação da menina escrava, mas como precisava sair do seminário... pega a vara e a entrega para Sinhá Rita.”



Faça seu comentário e apareça no rol dos comentadores.
Se gostou do post subscreva nosso FEED.

2 comentários:

  1. Saudações!
    Amigo Catarino,

    Um belíssimo Conto do consgarado Mestre, Machado de Assis!
    Valeu a pena conferir!
    Parabéns pelo lindo Post!
    Abraços,
    LISON.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o conto! Parabéns por nos dares a oportunidade de ler. Ultimamente já li uns três contos deste autor, que conheço muito mal, dos quais gostei muito.
    Abraços
    Luísa

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts