As Mulheres e o Dia Mundial sem Tabaco.

By
As Mulheres e o Dia Mundial sem Tabaco

A Organização Mundial da Saúde (OMS) celebra nesta segunda-feira (31), o Dia Mundial sem Tabaco de 2010. Este ano, o tema será Gênero e tabaco com ênfase no marketing para mulheres, com o objetivo de alertar sobre as estratégias que a indústria do tabaco utiliza para atingir o público feminino e os males que o cigarro causa à saúde e ao meio ambiente.

No Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) desenvolveu peças promocionais para uma campanha com o slogan Mulher, você merece algo melhor que o cigarro. As peças trazem a imagem de flores como um contraponto ao cigarro: as flores representam proteção ao meio ambiente, beleza e qualidade de vida, contrastando com o cigarro, sinônimo de desmatamento, envelhecimento precoce e problemas de saúde.

O Inca estima que o tabagismo seja responsável por 40% dos óbitos nas mulheres com menos de 65 anos e por 10% das mortes por doença coronariana nas mulheres com mais de 65 anos de idade. Uma vez abandonado o cigarro, o risco da doença cardíaca começa a decair – após um ano, reduz-se à metade e, após dez anos, atinge o mesmo nível de quem nunca fumou.

Entre as mulheres que convivem com fumantes, principalmente seus maridos, há um risco 30% maior de desenvolver câncer de pulmão em relação àquelas cujos maridos não fumam. Além disso, o risco de infarto do miocárdio, embolia pulmonar e tromboflebite em mulheres jovens que usam anticoncepcionais orais e fumam chega a ser dez vezes maior que o das que não fumam e usam esse método contraceptivo.

As gestantes também devem ficar alertas. Abortos espontâneos, nascimentos prematuros, bebês de baixo peso, mortes fetais e de recém-nascidos, complicações com a placenta e episódios de hemorragia ocorrem mais frequentemente quando a mulher grávida fuma. Tais problemas se devem, principalmente, aos efeitos do monóxido de carbono e da nicotina exercidos sobre o feto, após a absorção pelo organismo materno.

Os riscos para a gravidez, o parto e a criança não decorrem somente do hábito de fumar da gestante. Quando é obrigada a viver em ambiente poluído pela fumaça do cigarro, ela absorve as substâncias tóxicas, que, pelo sangue, passa para o feto. Quando a mãe fuma durante a amamentação, a nicotina passa pelo leite e é absorvida pela criança.


Se gostou do post subscreva nosso FEED.
O texto acima foi publicado no site no Portal Brasil
Cópias não permitidas www.blogdocatarino.com
Conheça o SHOPPING DO CATARINO
Protected by Copyscape Online Plagiarism Check

6 comentários:

  1. Vamos parabenizar os que se dedicam e se livram do vício do cigarro. E vamos aplaudir a OMS e a este espaço por divulgar incentivar o combate ao tabagismo.
    Parabéns.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. A minha mae fuma exageradamente. Ela era linda e acabou com a pele dela. Está cheia de cancer de pele no rosto, especialmente no nariz. Ela era linda, muito linda. Ainda resta beleza, mas poderia ainda estar melhor. Eu rezo para que nada pior lhe aconteça.

    ResponderExcluir
  3. Estamos perdendo muitas mulheres devido ao tabagismo...bela iniciativa.
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Uma matéria muito importante de ser divulgada.
    Abraços forte

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo alerta do fumo em nossas vidas,
    Forte Abraço,
    Fátima Tavares

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts