Humor: O martírio da ida ao supermercado.

By
Humor: O martírio da ida ao supermercado.

Todo mês é a mesma coisa, ir ao mercado fazer compras. Mais que uma obrigação ou necessidade, trata-se de uma penitência que muitos passam para abastecer seus lares. Na prática a pessoa que vai as compras entra com o bolso cheio de dinheiro e o carrinho vazio, para sair com o bolso vazio e o carrinho, digamos, se não totalmente cheio, ao menos não tão vazio como na entrada.
O mercado é um local onde acabamos revendo velhos conhecidos, talvez porque a grande maioria receba seus salários na mesma época do mês. Você entra e já vai logo dando de cara com algum rosto que há muito tempo não via. Geralmente são pessoas que apesar de conhecidas, não dispõe de vínculos muito fortes com você. Ou seja, ótimas para se ver uma vez lá que outra e dar um aceno ou um aperto de mão, mas não para se esbarrar a todo o momento, em um local onde o foco são as compras e não necessariamente reencontros casuais.
No primeiro contato, ambos ficam meio sem jeito, sorriem e trocam cumprimentos do tipo: “você por aqui fulano!” Ou “há quanto tempo hein?”. Cada um tenta seguir para um lado, mas se dão conta que estão indo pelo mesmo caminho. Trocam novos sorrisos amarelos, até que um dos dois resolve parar sob qualquer pretexto para deixar que o outro siga em frente.

O que acaba acontecendo, é que os dois passam o tempo inteiro se encontrando entre os corredores do mercado. Nas primeiras vezes, um passa pelo outro e diz alguma coisinha ou faz alguma careta do tipo: “lugar pequeno este!”. Por fim começam a disfarçar ao perceberem a aproximação do outro, procurando preços ou lendo algum rótulo, para não ter que olhá-lo novamente, pois não querem parecer indelicados.

Alguns tentam pular corredores, mas não adianta, pois o outro tem a mesma idéia e voltam a se encontrar novamente. A melhor forma de se resolver este impasse é passar a andar ao lado de seu conhecido e tentar iniciar um diálogo com ele. Porque a partir daí parece que todo mercado conspira para que vocês não consigam mais ficarem juntos.

Quem acha que fazer compras é fácil, esquece do stress que se passa nessas horas. Em cada corredor as pessoas têm que: cuidar de seus filhos para que não quebrem nada (nem se quebrem), olhar os preços, procurar o produto desejado, cuidar para não bater no carrinho da frente e verificar os itens da sua lista, calculando o quanto pode gastar.

Daí você entra em um novo corredor, olha novamente os preços, cuidando do carrinho da frente, procura o novo produto desejado, acerta sua lista, recalcula o valor disponível e sente que está se esquecendo de algo, mas o que será? Olha em volta e percebe que seu filho sumiu. Sente um frio na barriga quando lembra que a pouco viu ele junto a você no último corredor que passou. Ao relembrar disso, seu corpo todo estremece. Uma sensação terrível de desespero envolve você, pois se dá conta que o corredor que acabou de passar era justamente aquele onde ficavam as bebidas importadas, e pelo que você se recorda, os vinhos de cento e poucos dólares ficavam bem ao alcance das mãozinhas desajeitadas e curiosas de seu “anjinho”. Volta correndo pelo corredor a tempo de salvar as garrafas e seu bolso, passando a levar seu filho dentro do carrinho por medida de segurança.

Por fim deixo alguns conselhos: Evite ir ao mercado de estômago vazio. Pesquisas mostram que pessoas com fome compram uma porcentagem a mais em gêneros alimentícios. Outro conselho: se você for comer, não faça o lanche nas praças de alimentação dos mercados, pois certamente a tal porcentagem que você economizaria, acabará sendo gasta no seu “lanchinho”, e é bem provável ainda que você acabe se esbarrando novamente com aquele seu conhecido por lá.



Se gostou do post subscreva nosso FEED.
Texto de Antonio Brás Constante 
Conheça o SHOPPING DO CATARINO 
Cópias não permitidas - www.palavras.blog.br
Protected by Copyscape Online Plagiarism Check

7 comentários:

  1. Ola Catarino

    Nos dias de hoje as visitas ao supermercado estão ficando cada vez mais difíceis.
    Nem todos podem ter a gratificação de saírem com o carrinho cheio e ainda um pouco de dinheiro no bolso.
    Não sei aonde vamos chegar
    Parabens

    Um forte abraço
    Mad

    ResponderExcluir
  2. Olá, Catarino!

    É verdade, muitas pessoas, aquelas que possuem recursos, vão ao supermercado realizar as suas compras para o mês. É um martírio mesmo.

    Abraços

    Francisco Castro

    ResponderExcluir
  3. Realmente...inicio de mês no supermercado é um caos...é briga por causa do alface mais bonito,da fila da carne,etc...
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Amigo Catarino, uma excelente matéria. Fazer compras nos supermercados é um grande dilema mesmo, principalmente em datas como pagamento... É um tal de encontrar os amigos, e a maioria deles ficam conversando nos corredores, e atrapalham o trânsito... Mas isso é algo inevitável, e temos que fazer as compras, então, é melhor escolher um dia e horário mais propício para isso. Abraços. Roniel.

    ResponderExcluir
  5. Com certo atraso li o seu texto. É engraçado que hoje mesmo eu terminei um texto sobre o mesmo assunto. Se quiser dar uma olhada o nome do blog é coice no cérebro.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts