Os idosos e o risco à depressão.

By
Os idosos e o risco à depressão.


O texto abaixo é de autoria do médico e escritor Moacy Scliar com o título “Velhice e depressão: uma combinação que não é inevitável”. Estou publicando para que sirva de alerta, pois muitas vezes não prestamos atenção em nossos parentes mais velhos e isso pode prejudicar sua saúde e em alguns casos, quando percebemos, já é tarde. Temos que cuidar dos idosos, pois um dia queremos também ser um e não iríamos querer ficar abandonado. 


Façam o que eu fiz: entrem no Google e digitem, em inglês, as palavras “velhas e tristes” (“old and sad”). Sabem quantas referências vocês obterão? Nada menos do que 127 milhões, o que, mesmo para o Google, é um espanto. O número comprova um fato: aos olhos de muitas pessoas, a velhice está associada com tristeza – inclusive com aquela mórbida tristeza chamada depressão, que afeta 10-15% das pessoas com mais de 65 anos. O que não é de estranhar. Para muitas pessoas, a velhice significa isolamento, solidão, perda dos objetivos de vida, perda de entes queridos, sem falar nos problemas de saúde que então se tornando mais frequentes. Mas a depressão é um risco em si, e um risco que deve ser levado em conta, por familiares, por amigos, por médicos.

Há três coisas a fazer no caso da depressão dos idosos. A primeira é reconhecer que o problema existe. Sintomas como fadiga, perturbações do sono, perda de apetite e/ou de peso, uso de álcool ou de drogas podem ser manifestações depressivas, e não devem ser rotuladas de “coisa da velhice”. Depressão também não é Alzheimer, uma situação na qual a pessoa apresenta-se confusa, desorientada, com problemas de memória (que aparentemente não nota) com dificuldades para falar, para ler, para efetuar tarefas habituais. Em segundo lugar, depressão pode ser o resultado de um problema orgânico ainda não detectado, como cardiopatia, câncer, diabetes e uso de medicamentos. Por último, e muito importante, depressão é perfeitamente tratável, com medicamentos e com terapia. Há muitas coisas que a pessoa pode fazer para se ajudar: sair de casa, procurar pessoas, ter um hobby ou trabalho voluntário, ter um animal de estimação, alimentar-se bem, praticar exercício. E nisto parentes e amigos podem ajudar muito, estimulando o idoso, convidando-o, convivendo com ele.

Velhice é uma coisa boa, significa que estamos vivendo mais, que estamos vencendo muitas doenças. Tristeza, eventualmente, também é coisa boa: a vida não é só feita de risos. Mas associar velhice e tristeza, achar que esta combinação é inevitável – essa não. Está na hora de mostrarmos para o Google que há ótimas alternativas para isso.

Saiba mais sobre depressão nos idosos no blog Terapias Naturais e Saúde(fonte da imagem)


Se gostou do post subscreva nosso FEED.
Cópias não permitidas www.blogdocatarino.com
Conheça o SHOPPING DO CATARINO
Protected by Copyscape Online Plagiarism Check

3 comentários:

  1. Olá Catarino,como vc citou a fonte de um blog de terapias naturais,gostaria de sugerir q a terapia floral também é uma otima opção nos casos de depressão.Mas deixo claro que os florais sao um auxilio,não substitui os medicamentos prescritos pelo médico.

    ResponderExcluir
  2. Jaqueline
    Realmente a terapia floral é ótima.

    ResponderExcluir
  3. Estou chegando lá, porém quero manter o vigor que permanece em mim.
    Vamos envelhecer sim, mas com um alto astral.
    Parabéns mais uma vez.
    Abraço

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts