Autismo pode se tornar evitável.

By
Saúde mental: Autismo pode se tornar evitável

O autismo é uma disfunção global do desenvolvimento. É uma alteração que afeta a capacidade de comunicação do indivíduo, de estabelecer relacionamentos e de responder apropriadamente ao ambiente — segundo as normas que regulam essas respostas.

Algumas crianças, apesar de autistas, apresentam inteligência e fala intactas, outras apresentam sérios retardos no desenvolvimento da linguagem. Alguns parecem fechados e distantes, outros presos a comportamentos restritos e rígidos padrões de comportamento. Os diversos modos de manifestação do autismo também são designados de espectro autista, indicando uma gama de possibilidades dos sintomas do autismo.

O autismo afeta uma em cada 110 crianças nascidas nos Estados Unidos, segundo o governo daquele país, com números de dezembro de 2009. Em 2010, no Dia Mundial de Conscientização do Autismo, 2 de abril, a ONU declarou que, segundo especialistas, acredita-se que a doença atinja cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo, afetando a maneira como esses indivíduos se comunicam e interagem.

O autismo pode se tornar uma doença evitável graças a um teste, de custo baixo, segundo pesquisadores do Imperial College, de Londres (Reino Unido). O diagnóstico sempre foi difícil, e a doença costuma permanecer irreconhecível até estados avançados, quando já é muito tarde para ser tratada.

Os pesquisadores afirmam ter descoberto uma forma de detectar a enfermidade a partir dos seis meses de vida. O autor do estudo, Jeremy Nicholson, explica que as crianças autistas têm uma bactéria nos intestinos que pode ser detectada com um exame de urina, antes que apareçam os primeiros sintomas.

A descoberta sugere que um intenso tratamento, centrado no comportamento, comece antes dos danos psicológicos permanentes. Atualmente, o grau da doença é avaliado a partir de testes que exploram a integração social, a capacidade de comunicação e as aptidões imaginativas do paciente.

Saiba mais sobre o autismo na Wikipédia.

Se gostou do post subscreva nosso FEED.
Fonte: Caderno Vida do Jornal Zero Hora.
Cópias não permitidas www.blogdocatarino.com
Conheça o SHOPPING DO CATARINO
Protected by Copyscape Online Plagiarism Check

5 comentários:

  1. Tenho um sobrinho que sofre deste mal. Pena que ele esteja já com sete anos. Na escola vejo alunos com o mesmo problema, mas os pais não aceitam que seja autismo e vivem na ilusão de que está tudo bem.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Catarino, essa matéria é muito importante para o conhecimento de todos. O autismo, apesar de incurável, tem tido grandes progressos, e muitos autistas conseguem comunicar-se, o que não acontecia tempos atrás. Essas pessoas têm um mundo particular, próprio, e vivem fechados nesse mundinho que lhes é peculiar. Devemos ficar atentos para qualquer indício de autismo em nossas crianças, pois quanto mais cedo for diagnosticado, melhor será o tratamento. Abraços. Roniel.

    ResponderExcluir
  3. Catarino,
    Isso sugere que o autismo seja causado por bactérias.
    Você saberia informar sobre essas bactérias?
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Catarino,

    O autismo, nos dias de hoje, pode ser tratado, e os portadores desse síndrome, conseguem viver muito melhor com a sociedade, mas é necessário que os pais procurem ajuda logo que perceberem algo de estranho com a criança.

    Parabéns pela excelente matéria.

    Bjs.

    Rosana.

    ResponderExcluir
  5. Psiquismo Desmistificado.
    Segundo o estudo não há uma bactéria específica e sim um comportamento intestinal que difere a criança sadia da que porta a doença, eles dizem assim:
    As pessoas com autismo também são conhecidos por sofrer de distúrbios gastrointestinais e eles têm uma composição diferente de bactérias em seus intestinos de pessoas não-autistas.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts