O simbolismo do ovo na alimentação.

By
O simbolismo do ovo na alimentação.

O ovo é um alimento completo e sempre envolto em polêmicas quando a sua capacidade de alimentar e também de causar algum prejuízo à saúde. Durante anos foi dito que o ovo devia ser evitado e há pouco tempo foi liberado. Eu gosto muito de ovo e por isso nunca deixei de consumi-lo e acredito que não faça mal à saúde, pois minha saúde nunca foi afetada pelo seu consumo e sim por outros erros de alimentação e a falta de exercícios e excesso de estresse, que hoje tenho sobre controle.

No texto abaixo o médico e escritor, da Academia Brasileira de Letras, Moacyr Scliar faz um artigo muito interessante sobre o ovo e seus simbolismos. O texto foi publicado no caderno Vida do jornal Zero Hora.

Simbolismo é coisa que ao ovo não falta. Por causa de sua forma, lembra-nos o próprio planeta que habitamos. O ovo contém a semente da vida, e é por isso um símbolo de fertilidade, da potência até (o ovo de codorna é particularmente famoso neste sentido), do ciclo vital. Não por outra razão se tornou um emblema da Páscoa, a festa da ressurreição de Cristo. Finalmente vamos lembrar que, quando Colombo colocou um ovo de pé sobre a mesa, quebrando um pouco da casca, criou uma metáfora para lembrar que dá para fazer coisas inesperadas mediante a inteligência.

Simbolismos e metáforas à parte, o ovo é fonte de vários nutrientes, a proteína da clara, de várias vitaminas e minerais. Certo, junto vêm as calorias (cerca de 60, na gema) e o colesterol, a respeito do qual há uma antiga controvérsia: de um lado, aqueles que advertiam contra o risco da gema; de outro estavam os mais tolerantes, sustentando que um consumo moderado (um ovo por dia) não aumenta o risco de doença cardiovascular. Mas pode, diz um estudo de 2008, acompanhar-se de uma maior frequência de diabetes tipo 2, aquele que não depende de insulina. Crianças às vezes têm reações alérgicas ao ovo; e, por causa do uso cada vez maior de antibióticos em aves, fala-se numa crescente resistência bacteriana a, por exemplo, cefalosporina.

Recentemente, um episódio muito divulgado na mídia lembrou um outro problema. A vigilância sanitária dos Estados Unidos determinou o recall de centenas de milhões de ovos produzidos em fazendas do Estado de Iowa. Motivo: um surto de salmonela.

Esta é uma bactéria que causa infecções intestinais, com febre, diarreia, vômitos, dor abdominal. Ora, o ovo pode ser um veículo para a salmonela. Não é muito frequente; acontece com um ovo em cada 20 mil, mas acontece, e é bom estar ciente disso. A contaminação não raro ocorre já na cloaca da galinha, porque a casca, porosa, não impede a entrada dos germes. E se a casca está rachada (o exemplo de Colombo não deve ser seguido), mais fácil ainda é a contaminação. O que podemos fazer para evitar ou diminuir esse risco? O Centro de Controle de Doenças, dos Estados Unidos, aconselha:

– Mantenha os ovos sob refrigeração constante (menos de 7°C).

– Não use ovos com casca rachada ou muito sujos.

– Lave as mãos e os utensílios de cozinha depois do contato com ovos crus, para evitar uma possível contaminação de outros alimentos.

– Cozinhe os ovos até que clara e gema endureçam. Coma-os tão logo estejam prontos.

– Em nenhuma hipótese coma ovos crus ou pouco cozidos.

Providências simples. Um verdadeiro ovo de Colombo. Sem a casca rachada, claro.


Se gostou do post subscreva nosso FEED.
Cópias não permitidas www.blogdocatarino.com
Conheça o SHOPPING DO CATARINO
Protected by Copyscape Online Plagiarism Check

4 comentários:

  1. Olá,

    Adorei esse post. Há anos atrás li um livro que peguei numa biblioteca chamado "O ovo e eu". Era um verdadeiro manual de empreendedorismo e ensinava a lidar com muitas coisas relativas à criação de galinhas, ovos e até fabricação de queijo. Existe um filme com o mesmo título, mas não é sobre este livro que li, que nunca mais encontrei. Lembro que era um livro bem antigo.

    Quando eu era criança tinha uma vizinha portuguesa que criava galinhas e haviam construído uma engenhoca de madeira, de modo que quando a galinha punha um ovo, este vinha rolando de longe até cair numa cestinha. Eu adorava ir lá pra segurar a cesta...rsrsrs

    Quando eu estava na faculdade de comunicação, numa aula de propaganda e publicidade lembro que o professor comentou que a melhor "embalagem" que existe é a casca do ovo...rs

    Sobre ovos crus, ainda semana passada vi um desses programas de tv sobre culinária e o prato do dia era um filé minon picadinho, arrumado como um pequeno bolo, pincelado com gemas de ovos, mas o detalhe do prato é que devia ser comido cru! Na hora pensei que jamais comeria aquilo. Tanto o cozinheiro quanto a ajudante comeram o filé pincelado com ovo cru bem diante das câmeras. Acho que é um prato da cozinha francesa.

    Sei que não se deve nem usar uma faca que acabou de cortar carne crua para cortar carne cozida, sem lavar. Imagine comer tudo cru.

    Também gosto de ovos e fiquei, como vc, nessa neura por causa do colesterol, mas meu cardiologista sempre fala pra comer ovo, não tem problema, desde que não seja em grande quantidade.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Catarino, o artigo e Moacyr Scliar está disponível na internet?

    ResponderExcluir
  3. Leila
    Sua participação foi ótima. Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Leonardo
    Sim está no jornal Zero Hora, mas só pode ser lido por assinantes, veja em : http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a3060191.xml&template=3916.dwt&edition=15615&section=1028

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts