Você tem medo da idade?

By
Você tem medo da idade? Viver com Saúde

Viver com saúde é passar por todas as fases da vida com alegria e cuidados com o corpo, mas não podemos temer a idade ou tentar fugir dela. No texto abaixo o escritor Moacyr Scliar fala do assunto. É muito interessante, por isso estou publicando aqui.

Muitas pessoas (e as histórias a respeito sempre mencionam as mulheres) costumam mentir sobre sua idade. Explicável, numa época em que a velhice é vista com condescendência para dizer o mínimo. A figura do ancião respeitado, que funcionava como o sábio da comunidade, é coisa do passado. E isso por várias razões. Em primeiro lugar, velhos já não são raros: 10 por cento da população brasileira (que sempre foi considerada jovem) têm mais de 60 anos, o limite clássico da chamada terceira idade. Antes, chegar à velhice fazia com que a pessoa fosse encarada com respeito: afinal de contas tratava-se de alguém que sobrevivera, que enfrentara com êxito doenças e o desgaste orgânico. Um vitorioso, em suma, e todos queriam ouvir suas palavras, mesmo porque o conhecimento e a sabedoria resultavam, antes de mais nada, da experiência de vida. Hoje, sabedoria é algo que não tem muito prestígio; prestígio tem a informação, transmitida por uma tecnologia que os jovens dominam com facilidade (e transmitem-na aos pais e avós). Daí os limites etários impostos pelo mercado de trabalho. Depois dos 40, a pessoa está fora de combate (ainda que esta regra já esteja sendo questionada).

Diante desses fatos, não é de admirar a hesitação dos chamados coroas (de onde virá esse apelido? Da calvície ou da majestade?) em declinar sua idade. Frases como “já passei dos trinta”, ou “sou antigo” preenchem, em tom jocoso, mas melancólico, a lacuna. Outras vezes a pessoa entrará numa longa explicação sobre idade cronológica e idade orgânica e/ou psicológica. Uma diferença que, aliás, faz sentido. Isso não significa mentir a idade ou recorrer a respostas evasivas. Nem significa tomar essa idade como um veredicto.


Aqui entra uma importante diferença, entre negar e ignorar. Negar a realidade é uma fuga. Ignorar não é negar; é simplesmente não tomar conhecimento. Tomem o exemplo das pessoas que viajam de avião. Existem aqueles que pensam constantemente no fato de estar a dez mil metros de altura, dentro de uma estrutura metálica que depende das turbinas para se manter no ar. É verdade, isso? É. É verdade que problemas podem ocorrer? É. Não temos como negar isso. Mas, por outro lado, não precisamos recordar essas coisas a cada instante, o que transformaria a viagem num pesadelo. Podemos, ainda que provisoriamente, ignorá-las. E isso, turbulências à parte, nos permite uma viagem tranquila.


Da mesma maneira, não precisamos, e não devemos, negar nossa idade. Mas também não precisamos, e não devemos, pensar a todo instante em nossos 58, ou 64, ou 75 anos. Trata-se de um pensamento contraproducente. Precisamos, sim, pensar em nossas vidas, nas coisas boas que fazemos ou que podemos fazer, no trabalho, na convivência com a família, nas diversões, nos nossos sonhos. Sonhos, sim. Sonhar não é impróprio para maiores de idade.


A negação é um dos clássicos mecanismos de defesa psicológica e é vista em geral com condescendência, quando não com alarme. A pessoa que nega a possibilidade de ficar doente, que não faz os exames necessários, corre perigo. A pessoa sensata não ficará pensando obsessivamente nas enfermidades, mas procurará o médico periodicamente, ignorando os inconvenientes que a isso possam estar associados.

Os anos que temos são, em última análise, números. Quantificam a vida, mas de forma rudimentar. Há outras formas, muito mais satisfatórias, de avaliar a nossa existência. E estas, sim, não devem ser negadas.


Se gostou do post subscreva nosso FEED.
Cópias não permitidas www.blogdocatarino.com
Fonte: Caderno Donna do jornal Zero
Conheça o SHOPPING DO CATARINO
Protected by Copyscape Online Plagiarism Check

Um comentário:

  1. sou grata por ter achado tantas coisas boa ;; parabens agora posso dizer que to feliz sou sp tenho 66 anos ,,,muito obrigada

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts