Principais erros cometidos na hora da declaração do imposto de renda.

By
Principais erros cometidos na hora da declaração do imposto de renda.


Fazer a declaração do imposto de renda deve ser uma das tarefas mais estressante que fazemos no ano. Todos os anos é preciso separar uma quantidade de documentos e ter o máximo de cuidado para lançá-los no formulário do imposto de renda. Depois da entrega feita é preciso aguardar o processamento para saber se saiu tudo certo. O jornal Diário de Santa Maria traz uma relação com os principais erros cometidos pelos declarante, preste atenção para não errar nesses itens.

Omitir fontes de renda – É o erro mais básico e também o mais facilmente detectado. A renda que o contribuinte omite é declarada pela fonte pagadora, então, não adianta tentar burlar a receita. Além disso, é provável que a omissão de rendimentos acabe aparecendo na falta de origem do dinheiro.

Aluguel – Locatários precisam declarar que pagam aluguel – não incluir essa informação dá multa. Na hora de preencher o valor, a dica é lembrar que o aluguel nunca é pago para a imobiliária, mas para o dono do imóvel. Já proprietários que arrendam as suas terras devem lembrar que o procedimento é equivalente ao aluguel e não pode ser incluído no livro caixa.

Dependentes – A idade limite para incluir o dependente nas deduções do IR é 24 anos (se o dependente estiver cursando Ensino Superior ou cursos técnicos) ou 21 (caso não esteja estudando). Mesmo que o filho ainda mantenha a condição de dependência, não é possível obter deduções no imposto se ele for maior de 24 anos. Para colocar uma pessoa como dependente é obrigatório incluir o CPF, e se ela tiver renda, o valor deve ser incluído no cálculo. 

Casais – Se o casal for declarar separadamente, deve informar os dados do companheiro. Isso serve para o cruzamento de informações, especialmente quando houver bens e rendimentos em conjunto.

Atenção na hora de digitar números: – Hoje, o sistema avisa caso os números de CPF e CNPJ incluídos sejam inválidos. Os problemas aparecem na hora de informar os valores pagos e recebidos. Valores muito discrepantes podem ser percebidos numa revisão final da declaração. Revise a declaração antes de transmitir para a Receita.

Previdência privada – De forma genérica, o pagamento para a previdência privada pode ser deduzido do IR, desde que o ônus tenha sido do próprio contribuinte. Já o valor resgatado é rendimento tributável e deve ser somado aos outros rendimentos na declaração.

Pensão alimentícia – O valor informado é aquele estabelecido judicialmente, mesmo que o contribuinte acabe pagando, espontaneamente, um benefício maior.

Saúde – Pela ausência de teto para deduções, as despesas médicas são as mais suscetíveis às fraudes e aos erros. Por isso, a Receita está fechando o cerco aos contribuintes, com a Declaração de Serviços Médicos (Dmed). A declaração é encaminhada à Receita por hospitais, clínicas, laboratórios e operadoras de plano de saúde, com dados sobre o contribuinte e seus gastos. Além disso, se os gastos informados forem desproporcionais em relação à renda, ele pode ser chamado para prestar contas ao fisco.



0 comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts