Crônica. O estrangeirismo na pronúncia do Português.

By

Crônica. O estrangeirismo na pronúncia do Português.

Nosso idioma vem sofrendo uma invasão de termos estrangeiros e palavras de outro idioma são incluídas em nosso vocabulário com pronuncia estranha às regras do Português e as pessoas nem sabem por que pronunciam assim. No texto abaixo Luis Fernando Veríssimo faz uma crítica a esse respeito com muito humor. A crônica foi publicada no caderno Donna do jornal Zero Hora.

Durante muito tempo me intrigou a quantidade de jogadores de futebol brasileiros chamados Donizete. Uma homenagem, imaginei, ao compositor italiano Domenico Gaetano Donizzeti, autor, entre outras, da ópera Lúcia de Lammermoor, mas mais conhecido pela ária Una Furtiva Lacrima de outra ópera, Lelisir dAmore. Mas o nome pressupunha pais que admiravam a ópera, ou pelo menos sabiam da existência do compositor, o que era improvável. E mesmo que isto explicasse dois ou três Donizetes, não explicava uma geração de Donizetes.

Qual seria o mistério? Depois descobri que o homenageado era um padre do interior paulista com fama de milagreiro e uma multidão de seguidores. Eu nunca tinha ouvido falar no padre, que não sei se ainda vive, mas é ele o responsável pela proliferação de Donizetes, muitos dos quais se tornaram jogadores de futebol. Nenhum deles milagreiro.
Mas surgiu outro mistério no futebol brasileiro: o número crescente de jogadores com o nome Juan. E um mistério ainda maior: por que eles são invariavelmente chamados – por narradores, comentaristas, colegas, amigos e, presume-se, suas próprias mães – de Ruan? A pronúncia certa do “j” em português é o jota de “jujuba”. Se vão chamar os Juans de Ruans, por que não chamar Juarez de Ruarez e Jorge de Rorge?

Lembro que uma vez eu assistia a um noticiário da CNN sobre o Brasil e a pessoa que estava comigo se indignou porque o locutor se referiu ao nosso presidente na época como “Rosé Sarney”. Americano não tinha jeito mesmo, para eles do México para baixo era tudo a mesma coisa, só faltava dizerem que a capital do Brasil era Buenos Aires etc. etc. Mas na insistência em chamar o Juan de Ruan estamos imitando americanos desinformados. Vamos defender, pelo menos, o nosso jota, gente.


Se gostou do post subscreva nosso FEED.
Conheça o SHOPPING DO CATARINO
Cópias não permitidas - www.palavras.blog.br
Protected by Copyscape Online Plagiarism Check

Um comentário:

  1. não fica brabinho não nas filipinas o que tem de maria e jose não e brincadeira fora manuel , joaquim , jorge , mario , andreia emtre tantos nomes que nos achamos que vem do brasil mas isso e um equivoco tantos nomes que no brasil e comum para nos mas não e para eles nemhum nome por mais que digão não são brasileiros vem ates do brasil ser descoberto se informe melhor para não dizer algo fora do seu raciocinio ??? temos que ver o brasil berto de outros paises o brasil não passa de um bebe..

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts