Palavras de humor. Como reagir ao fim do namoro.

By
Palavras de humor. Como reagir ao fim do namoro

Márcia deixou Paulo por outro homem. Paulo não gostou, mas se resignou. Márcia era uma mulher livre. Uma mulher independente. E o namoro dos dois já estava mesmo na hora de acabar. As amigas comentaram que, para tirar a Márcia do Paulo, o outro teria que ser um homem e tanto. O Paulo era bonito, inteligente, simpático, bem educado, bem-humorado, atencioso e elegante, além de compreensivo. Cozinhava bem, ajudava na decoração, tinha bom gosto, boa voz, bom ouvido e nisso todas concordavam era muito bom de cama.

A grande curiosidade de todos passou a ser quem era o outro. O que o outro tinha que o Paulo, que era perfeito, não tinha? Por isso houve um choque generalizado quando a Márcia apareceu com um gordinho chamado Pires e o apresentou como “meu namorado”, dando um tapinha na sua careca, que batia no seu ombro.

Ninguém ficou mais chocado do que o Paulo. Na primeira oportunidade, chamou Márcia para uma conversa.

– Marcinha, você não pode fazer isto comigo.

– O que eu fiz?

– Me trocou por esse Pires. Pense no que vão dizer.

– De quem?

– De mim!

Um homem é julgado por quem o substitui, argumentou Paulo.

– Acho que eu tenho direito a uma explicação.

– Nós nos amamos.

– O que ele tem que eu não tenho?

– Nada.

– É cama, acertei? Ele é um animal na cama. Quando apaga a luz, se transforma numa máquina de sexo. Melhor do que eu. É isso?

– Não sei.

– Como, não sabe?

– Nós ainda não transamos. Ele diz que só depois do casamento.

– Vocês vão se casar?!

E aconteceu o seguinte. Paulo começou a espalhar informações falsas sobre o Pires. A caluniá-lo ao contrário, inventando qualidades que o tornavam irresistível às mulheres. Ele era uma máquina de sexo. Também era uma potência intelectual, um nome respeitadíssimo no mundo da pesquisa molecular com vários trabalhos publicados, talvez o brasileiro com maiores possibilidades de ganhar o Nobel num futuro próximo. E era riquíssimo, embora não gostasse de ostentar sua riqueza. Um homem e tanto.

Pires perguntou para a Márcia se deveria processar o Paulo quando este sugeriu seu nome como candidato à Academia Brasileira de Letras e (por que não?) a um cargo eletivo, já que a politica nacional precisava de alguém com seus dotes extraordinários, talvez até na presidência. Mas processar como, se ele não estava sendo difamado? Decidiram esperar que o ego do Paulo esfriasse.


Se gostou do post subscreva nosso FEED.
Autor: Luis Fernando Veríssimo - Caderno Donna Zero Hora.
Conheça o SHOPPING DO CATARINO 
Cópias não permitidas - www.palavras.blog.br 
Protected by Copyscape Online Plagiarism Check

2 comentários:

Deixe sua opinião, ela é muito importante para nosso trabalho.

Popular Posts